sábado, 28 de março de 2009

O MEU LIVRO DA 1ª CLASSE



Era assim, no tempo em que ainda se podia abrir a porta sem receio de ser assaltado...

Os pobrezinhos
- Batem à porta. Meu filho, vai ver quem é.
- É um pobre, minha mãe, um pobrezinho a pedir esmola.
A mãe veio logo com um prato de sopa e deu-o ao pobre. Depois, voltou para a sala de costura e deixou o filho a fazer companhia ao mendigo. Este, quando acabou de comer, disse por despedida:
- Deus faça bem a quem bem faz!
O menino ficou comovido: - Que pena tive do pobrezinho!
- E é caso para isso, respondeu a mãe. Os pobres são nossos irmãos. Devemos fazer-lhes todo o bem que pudermos. Jesus ensinou que até um copo de água, dado aos pobres por caridade, terá grande prémio no céu

2 comentários:

Isabel Pedrosa Pires disse...

O meu também foi esse. Os textos mais reaccionários, lamechas que já li. Sobrevivemos!
Beijos

Ogre disse...

E é por isso que não pode deixar de haver pobres. Os pobrezinhos tão engraçados pedem esmolinha com mil cuidados... são a nossa porta para o paraízo, a nossa redenção. Como é possível que haja por aí quem nos queira privar de tal benesse, de tão grande bênção?!
Em verdade vos digo, com este iluminado governo que, se deus quiser, irá ficar por muito tempo à frente dos desígnios desta nossa bela nação, não veremos tão cedo esse triste fim.
Adeus e até logo.