segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Começou a dos 700.000 funcionários públicos contra o PS

Assim chegará aos 700 000 funcionários públicos, que deixaram de o ser desde 1 de Janeiro de 2009 com a Lei 12-A.

Sr. Primeiro Ministro

É verdade, se o PS não tivesse a maioria absoluta, o Governo nunca teria tido a coragem de insultar publicamente os funcionários públicos, de fazer tudo para colocar a população contra eles, de alterar os direitos adquiridos para a aposentação, nem de aprovar o novo regime de Vínculos, Carreiras e Remunerações que acaba com as carreiras, as garantias que tínhamos e os direitos adquiridos que tínhamos, que é um insulto a quem presta tão nobre serviço ao País.

Não tinha procedido a despedimentos, para de seguida contratar novos colegas, com quem simpatiza mais.

Não tinha criado o SIADAP desta forma, para promover e contemplar quem dá graxa aos chefes, e impedido a carreira a quase todos os funcionários. Não chega uma vida inteira para chegar ao meio da carreira em muitas situações. Não é por acaso que a maioria dos "excelentes", ou são secretárias, ou são motoristas...

Não tinha criado um sistema de escolha dos dirigentes que fazem o que lhe interessa, podendo até serem de fora do sistema, acabando com os concursos e com as oportunidades para os que são já funcionários públicos experientes e reconhecidos.

Não tinha acabado com os Gabinetes Técnicos dos Ministérios, deixando a assessoria técnica a empresas de consultadoria e associando empresas de auditoria a funções inspectivas e de controlo, para que as primeiras digam sempre que sim e as segundas afirmem sempre que está tudo bem.

Não tinha transformado as polícias em caçadoras de infracções, dando-lhes como objectivo MULTAR em vez de FISCALIZAR.

NÃO TINHA DESTRUÍDO A FUNÇÃO PÚBLICA, DEIXANDO O VAZIO, POIS ATÉ NEM SABE O QUE É ESTA NOBRE FUNÇÃO DE SERVIR TODOS, INDEPENDENTE DAS RAÇAS, SITUAÇÃO SOCIAL, OPÇÃO POLÍTICA E ASCENDÊNCIA FAMILIAR.

As maiorias absolutas só favorecem os poderosos; as classes trabalhadoras saem sempre a perder. É fácil para quem tem vencimentos chorudos (muitas vezes provindos de várias fontes) vir à televisão exigir que apertemos o cinto... Claro!...

Já dizia Max Weber que todo o poder corrompe e o poder absoluto corrompe absolutamente...

Chegou o momento de ajustar contas com o Partido de Sócrates (PS)! Se este partido tivesse menos de 1% dos votos expressos nas últimas eleições, não teria a maioria absoluta e nunca teria tido a coragem de promover todas estas enormes afrontas. Somos 700.000, o equivalente a 14% dos votos nacionais expressos. Se nas próximas eleições legislativas, grande parte dos funcionários votar em massa em todas as forçs políticas, excepto no PS, este partido não só deixará de ter a maioria, como perderá as próximas eleições!!!

Será a oportunidade soberana de devolver ao Sr. Sócrates as amêndoas amargas que ofereceu aos funcionários públicos!!!

Colegas, quem foi capaz de aguentar a perseguição, a desmotivação, a perda de horizontes para a sua vida, o sentir que pode ser despedido a qualquer momento com os mapas anuais de pessoal, também consegue nas próximas legislativas dirigir-se à sua assembleia de voto e votar a derrota do PS. Em Portugal, há partidos para todos os gostos, quer à direita quer à esquerda do PS; é só escolher.

Maiorias absolutas, nunca mais!!!

Os funcionários públicos, para além de terem a capacidade de retirarem a maioria ao PS, têm a capacidade de o humilhar. Basta para isso que convençam metade dos maridos ou mulheres, metade dos seus filhos maiores, metade dos seus pais e um vizinho a não votar PS, e já são mais de 1.000.000. Os Funcionários Públicos deverão estar unidos; esta união deverá ser para continuar, e têm uma ferramenta poderosa ao seu alcance, a Internet, que nos põe em contacto permanente uns com os outros.

Façamos contas:

Se esta mensagem vai ser enviada a 10 colegas.
Se cada um dos colegas enviar a mais 10 dá 100.
Se estes enviarem a mais 10 dá 1.000.
Se estes enviarem a mais 10 dá 10.000.
Se estes enviarem a mais 10 dá 100.000.
Se estes enviarem a mais 10 dá 1.000.000.

Assim se vê a nossa força!!!

Não a menosprezes.

Usa-a.

Se não estarás cada vez pior como tens visto, sem esperares nenhuma alteração à situação que te foi criada. Rapidamente todos os colegas e seus familiares ficarão a saber a informação que ela contém e a sua força.

O TEU FUTURO SÓ DEPENDE DE TI.

ESTÁ NAS TUAS MÃOS.

O FUTURO DE PORTUGAL DEPENDE DE TI.

1 comentário:

Sopro leve disse...

http://soproleve.blogspot.com/2009/09/alguem-vai-voltar-acreditar.html